terça-feira, 4 de novembro de 2008

Roteiro de cinema

FÓRMULA 1 - INTERLAGOS 2008


Certa vez, me disseram que o automobilismo não pode ser um esporte excitante. Afinal, "como pode haver graça em ficar vendo um bando de pilotos seguindo uns aos outros e dando giros no mesmo lugar durante mais de uma hora"? A prova que desmente tal teoria foi a tarde do último domingo, no qual milhões de brasileiros pararam para apoiar seu mais novo ídolo: Felipe Massa.

Olhar para a televisão e ver o belo circuito de Interlagos, completamente lotad
o de torcedores gritando o nome de Massa, e fazendo uma festa incomparável, realmente foi de arrepiar, lembrando até os emocionantes domingo nos quais a nação brasileira parava para torcer pelo nosso querido e saudoso Ayrton Senna. O que vemos agora é um sentimento igual da nossa população, a de ter encontrado seu novo ídolo no automobilismo. E isso não veio à toa. Felipe Massa conquistou o carinho dos brasileiros, graças a sua evolução tanto dentro e fora das pistas. Mais centrado, tanto dentro como fora das pistas, o piloto mostrou uma evolução impressionante em relação ao ano passado. Para não restar dúvidas da popularidade dele, o reconhecimento dos torcedores pelo seu esforço, mesmo que não tenha conseguido ganhar o título, já diz por si só.

Mas a verdade é que todo o desenrolar da prova decisiva da temporada 2008 da Fórmula 1 foi de fazer inveja até a Steven Spielberg. O script parecia ter sido feito sob medida manter o suspense e a ansiedade do primeiro ao último segundo das 71 voltas da corrida. Primeiro, veio o famoso "pé d'água" paulistano, faltando apenas dois minutos para a largada. Uma chuva, rápida e forte, suficiente apenas para lavar o autódromo. Tinha de rápida, afinal, ela teria que ser a coadjuvante do roteiro, pelo menos por enquanto...

Após perder um titulo praticamente ganho em 2007, Lewis Hamilton ganhou de forma emocionante o campeonato desse ano

Com pneus de chuva intermediária, os pilotos largaram. E o que vimos foi uma guerra tática. Massa fazia sua parte, mantendo a liderança e guiando firme rumo à vitória. Mas isso não bastava apenas, ele precisaria vencer e torcer para Lewis Hamilton ser no máximo sexto colocado. O piloto inglês da McLaren fazia uma corrida aparentemente tranqüila, embora sem brilho, mas que era suficiente para lhe dar o tão sonhado título que escapou de forma incrível no ano passado. O quarto lugar que ele ocupava era bastante confortável.

A chuva rodeava o circuito, mas não caía. Os pilotos já estavam de pneus de pista seca, e a corrida continuava num desfecho tranqüilo para Hamilton, já a poucas voltas do final. Mas o imponderável veio a sete voltas do encerramento. A chuva voltou, e dessa vez para se tornar o personagem principal da corrida. Não era uma chuva forte, mas o suficiente para levar quase todos os pilotos (incluindo Massa e Hamilton) para os boxes, para colocar pneus intermediários. Quase todos!

A Toyota, com seus pilotos Timo Glock e Jarno Trulli, resolveu dar uma cartada arriscada, preferindo deixar seus pilotos na pista, com pneus de pista seca, apostando que a chuva não apertaria. Sem a parada de Glock, Hamilton caiu para o quinto posto, no limite do que ele poderia chegar para ser campeão. Só que aí apareceu um jovem piloto, Sebastian Vettel, e mostrou porque tem pinta de um futuro campeão mundial. O piloto sensação da temporada aproveitou a chuva e um vacilo de Hamilton para ultrapassá-lo e garantir momentaneamente o título de Massa.

Interlagos foi à loucura! Os torcedores nas arquibancadas não se continham, assim como os milhões de telespectadores por todo o Brasil. Massa guiava com todo o cuidado na última volta, a parte dele estava cumprida. Ao cruzar a linha de chegada e vencer a corrida, ele era campeão. Restava agora aguardar e torcer para que o incrível Vettel se mantivesse a frente de Hamilton. E foi o que aconteceu. Mas o que poucos esperavam era que a chuva apertasse, e Glock, com seus pneus de pista seca, não tivesse condições de segurar quem vinha atrás. Perdeu muito rendimento, e não conseguiu evitar a ultrapassagem de Hamilton...na última curva do circuito!

Hamilton ultrapassa Glock na última curva da corrida, e ganha o título "nos acréscimos do segundo tempo"

Massa foi campeão por menos de um minuto. O clima de frustração nas arquibancadas e nos boxes da Ferrari foi geral. Como poderia um título ser perdido faltando aproximadamente 500 metros? A verdade é que Felipe foi impecável durante todas as voltas, e fez por merecer toda a vibração da torcida. Fez sua parte, mas tinha de contar com o quase impossível, que por poucos segundos se tornou realidade. Mas fica claro que o título não escapou na última curva, e sim durante o ano, nas trapalhadas da Ferrari (e em alguns erros dele também, coisas normais do esporte). Dizer que o título de Hamilton não foi merecido também não é justo, pois ambos os pilotos tiveram seus altos e baixos na temporada, cometeram erros e acertos, mas brigaram até o fim pelo título.

Parabenizar os dois pela brilhante campanha no campeonato seria dizer algo meio batido. Mas parabéns aos dois pilotos por fazer do automobilismo um esporte apaixonante e emocionante. 2009 reserva novas emoções...

foto 1: Mark Thompson/Getty Images
foto 2: Bruno Terena/Grande Prêmio
foto 3: Bruno Terena/Grande Prêmio

3 comentários:

Publisher Girl disse...

Realmente, foi emocionante. Gente que só vibrava ao ver Senna e outras que nem sequer viveram aquela época, se emocionaram com esta corrida. Após um longo período amargando as corridas da F1, finalmente o brasileiro tem mais uma nova razão pra sentir orgulho do esporte. Massa, o nosso campeão.

slim shady disse...

Foi a corrida mais emocionante que assisti após a morte do Senna !

Adilson Jorge disse...

Foram um dos 30 e poucos segundos mais eletrizantes da minha vida! Certeza


Raoni, como sempre, show de bola. Ou melhor, show de aceleração!

Abraços