domingo, 4 de novembro de 2007

Doce vingança!

VÔLEI
.

Jogadoras brasileiras comemoram triunfo sobre as arqui-rivais cubanas

Parece ainda ser difícil engolir a triste derrota da nossa seleção feminina de vôlei diante das cubanas nos últimos Jogos Panamericanos. Porém, a oportunidade de se vingar das arqui-rivais veio nesta última madrugada de domingo (4), no Japão, em partida válida pela Copa do Mundo de Vôlei. E nossas meninas aproveitaram a chance! Em uma partida eletrizante, o Brasil venceu a seleção de Cuba por 3 sets a 2 e, de quebra, manteve-se com 100% de aproveitamento na competição.

A competição, que reúne doze equipes, premia as três mais bem colocadas com a vaga para os Jogos Olímpicos de Pequim-2008. Com parciais de 25-19, 19-25, 25-17, 19-25 e 15-11, a seleção brasileira conquistou a sua terceira vitória em três jogos, dividindo a liderança do torneio com a Itália, porém esta última figura oficialmente na primeira posição, pois leva vantagem no saldo de sets, principal critério de desempate.

A grande arma do time brasileiro foi o saque. O fundamento foi responsável por 7 pontos das brasileiras, contra apenas 4 das cubanas. "Jogar contra Cuba sempre é difícil. Os dois times sacaram muito bem hoje, mas nós tivemos um pouco mais de sorte, marcando sete pontos no serviço, contra quatro de Cuba. No tie-break, elas erraram alguns saques, dando pontos de graça para nós", afirmou o técnico brasileiro, José Roberto Guimarães.

Maior pontuadora da partida, Sheilla declarou que a concentração do grupo é o fator responsável pelos bons resultados. "O time está focado e tem como objetivo a classificação para os Jogos Olímpicos de Pequim. A oscilação durante a partida é normal e o importante é que conseguimos a vitória. Mudei minha estratégia no saque. Nos outros jogos, era flutuante. Desta vez, forcei mais e deu certo", disse a oposto "fenômeno", como é chamada por muitos no mundo do vôlei.

Já a ponteira Paula Pequeno, com atuação inspirada, foi eleita a melhor jogadora da partida. "O jogo foi difícil como esperávamos. Nosso saque mais uma vez fez a diferença. Senti a equipe serena inclusive nos momentos decisivos", conta.

Esta sim é a seleção feminina que todos nós, brasileiros, conhecemos bem: jogando com alegria, força e sem medo de perder.

foto: AFP

2 comentários:

Adilson Jorge disse...

De alma lavada ...

Cadê as provocações na rede agora? Hein? Hein? Hein?

Janasinha disse...

Eu só assisti os dois primeiros, depois capotei!
Acordei louuuuuca e fui pra internet pra saber o resultado!

UFAAAAAAAA