sábado, 29 de dezembro de 2007

O início do sucesso da família Hill

FÓRMULA 1 - MEMÓRIA
.
A Fórmula 1 tem como alguns casos curiosos a presença de mais de um membro de uma mesma família tendo participado de pelo menos uma corrida na categoria. Quando este assunto vêm à mente das pessoas, logo podemos nos lembrar dos irmãos Michael e Ralf Schumacher. O primeiro deles todos nós conhecemos, afinal, ele é simplesmente o maior vitorioso de todos os tempos. Já Ralf não chegou nem perto dos feitos do irmão gênio, mas ao menos conseguiu algumas vitórias e pilotou por equipes renomadas do circo da F1 desde 1997.
.
Mas esse não é o caso que vou citar nesta postagem. Aqui, lembraremos da gloriosa e famosa família britânica Hill. Tudo começou no ano de 1958, quando Graham estreou na categoria no circuito de Monte Carlo, circuito que renderia ao piloto o apelido de "Mister Mônaco", pelas cinco vitórias que conseguiria ali, sendo superado apenas por Ayrton Senna, vencedor em seis ocasiões. Hill estava a bordo de uma Lotus 12 e se classificou para o grid de largada na 15ª posição, abandonando a prova na volta 69.

Graham Hill na pista de East London em 1962, palco do seu primeiro título na F1

Em 1960, o piloto inglês se transferiu para a BRM. Com o tempo ele foi se tornando um dos nomes mais respeitados entre os pilotos e assim foi entrando na briga por vitórias. Já em 1962, Hill conseguiu sua primeira pole na carreira no circuito belga de Spa-Francorchamps e sua primeira vitória, na pista holandesa de Zandvoort.

Ao longo daquela temporada, o piloto colecionou uma série de resultados excelentes que o credenciaram como um sério candidato ao título, tendo como principal adversário o velocíssimo escocês Jim Clark, piloto da Lotus. A batalha entre os dois concorrentes foi muito equilibrada, mas prevalecendo-se uma regularidade maior nos resultados, Hill confirmaria, no dia 29 de dezembro daquele ano, há exatos 45 anos, seu primeiro título mundial, com uma vitória no circuito de East London, na África do Sul.

Seis anos mais tarde, Graham Hill conquistou seu segundo título na carreira, correndo pela Lotus. No total, ele participou de 179 Grandes Prêmios, conseguindo 14 vitórias e 13 pole-positions. Em novembro de 1975, Hill morreu em um acidente de Helicóptero, aos 46 anos de idade. Seu filho, Damon, seguiu o trilho do pai e se tornou anos mais tarde um também bem sucedido piloto da categoria, conquistando o campeonato de 1996, e acumulando 22 vitórias e 20 poles na carreira.

Com certeza, mais um exemplo de que certas habilidades podem estar no sangue de uma família. Vale também lembrar que Graham e Damon não tem nenhum tipo de parentesco com o norte-americano Phil Hill, campeão da Fórmula 1 em 1961. De qualquer maneira, um salve aos Hills.

foto: f1-facts.com

5 comentários:

Jr. disse...

É q eu não curto muito F1 não... Nem entendo nada de corrida hehehe!! Mas o Blog é muito bom!! Parabéns!

Fuccio disse...

Eu tbm não sou muito chegando em F1...

De qualquer forma..bem legal seu blog..virei mais vezes..hehe!

Abraços!

http://odescontrole.blogspot.com/
http://odescontrole.blogspot.com/

Bruno R.Ramos disse...

Salve aos Hills. Cara, voc~e é tremendamente informado e acima de tudo conhece os detalhes do assunto.Voltarei aqui mais vezes. I'll come back!

blog disse...

Eu não sabia que a morte de Grahan Hill tinha esse tempero irônico. Lembrou-me José Carlos Pace, que morreu de acidente de avião.
Veja só!

Bacana o texto: limpo, bem escrito, sem subterfúgios estilísticos.

Bom 2008.

CapinaremosRH@gmail.com (Zanfa) disse...

Muito bom, grande família Hill.

A família Pichet também será assim, eu acho. =p